,

Front-end e back-end: qual escolher? E qual a diferença entre essas duas áreas e full stack?

03/05/2023
• Atualizado em 19 de julho de 2024

Front-end e back-end: escolher qual delas atuar é a dúvida de muitos programadores iniciantes. Pensando nisso, iremos detalhar quais são as diferenças entre as principais áreas do desenvolvimento web. 

Primeiro, é preciso lembrar que você pode começar a estudar tópicos comuns das duas áreas, como lógica de programação e versionamento de código, e depois se especializar em uma delas. 

Qual é a diferença entre front-end e back-end?

Front-end é a parte responsável pelo visual de um site ou aplicativo, ou seja, cuida da estrutura, da usabilidade, do conteúdo, das cores, das fontes, das imagens e tudo o que for apresentado ao usuário para interação. Também verifica se o design é responsivo para que funcione em diferentes tamanhos de telas.

É essencial que o profissional dessa área saiba HTML, CSS, JavaScript, por exemplo. 

Imagem com códigos HTML, que é uma linguagem de marcação utilizada para construção de páginas na internet.
Crédito: Imagem de James Osborne por Pixabay

Já o back-end é a área voltada para o funcionamento interno de um sistema. Basicamente, constrói os códigos que atendem as solicitações dos usuários. O especialista deve dominar ferramentas e linguagens, como Java, Node e Mongo. 

Geralmente, para explicar a diferença entre front-end e back-end, é feita uma analogia com uma peça de teatro, em que os bastidores seria o back-end (invisível para o público) e o palco do espetáculo, o front-end (visível para a plateia).  

Para melhor entendimento, imagine uma loja de roupas que vende os seus produtos de forma on-line. O front-end é encarregado de exibir as páginas dos itens, com todas as informações necessárias para a compra. 

Já o back-end cuida do cadastro do cliente, processa pagamentos e verifica informações do cartão de crédito, por exemplo. 

E o que é full stack? 

O profissional de full stack é aquele que realiza tarefas de front-end e back-end, ou seja, ele atua tanto no desenvolvimento visual quanto no funcionamento interno de um sistema. 

Um bom programador full stack não é um profissional que tem noção básica de ambas as áreas. Na verdade, ele precisa ser capaz de desempenhar todas as funções de forma minuciosa. 

Salário de um front-end

Segundo o Guia Salarial de 2023, levantamento feito pela Robert Half, um desenvolvedor front-end iniciante ganha, em média, R$ 6.200 e, no caso dos profissionais mais seniores, o valor pode chegar a R$ 21.900. 

Salário de um back-end e full stack 

Um desenvolvedor back-end e full stack, ambos de nível júnior, costumam receber, em média, R$ 6.200. No caso dos mais experientes, o salário pode chegar a R$ 20.600. 

É importante ressaltar que os salários variam de acordo com o porte e região da empresa.

Front-end, back-end e full stack: como selecionar uma área para se especializar? 

Para escolher em qual área atuar, é preciso conhecer as suas aptidões e interesses. 

Raquel Velasquez, venezuelana e desenvolvedora front-end formada pela Toti, dá algumas dicas para tomar essa decisão: “Quem trabalha com front-end tende a ser mais criativo e gostar de elementos visuais. Essa pessoa tem foco mais na arte e um pouco menos na parte lógica”, diz. 

Além disso, ela precisa conseguir alinhar as ideias dos designers com o que é possível fazer na programação. 

Ao escolher a área de back-end, você terá que lidar com lógica de programação e regras do negócio. “Por exemplo, o fluxo de login tem ligação com a criação de usuário, quantidade de caracteres, letras e números que uma senha deve ter e como ela será aprovada”, afirma. 

Por isso, de acordo com a especialista, para trabalhar com back-end é importante gostar de criar funcionalidades, regras compostas, algoritmos e resolver problemas de forma segura, além de ter um bom raciocínio lógico

Agora, se você tem interesse em ambas as áreas e é um profissional versátil, full stack pode ser uma excelente opção. Aqui, o lado bom é que você consegue se candidatar a vagas de front-end e back-end. Entretanto, pode ser mais difícil dominar muitas linguagens diferentes e se manter atualizado em meio a tantas tecnologias. 

Clique aqui e veja dicas para aprender a programar

 

Conteúdo do Artigo

Você também vai gostar!

Desenvolvedor front-end: funções, salários, oportunidades e dicas para entrar no mercado de trabalho

Confira um guia sobre como se tornar um desenvolvedor front-end. Descubra funções, salários, oportunidades e dicas para conseguir um emprego.

Toti Diversidade oferece cursos para migrantes e refugiados no Brasil e ainda ajuda na empregabilidade deles

A Toti disponibiliza gratuitamente cursos para migrantes e refugiados com foco em empregabilidade. Confira a lista de cursos.

Quais são os direitos dos refugiados e migrantes no Brasil? Confira tudo o que você precisa saber

O Brasil é reconhecido como um país que acolhe imigrantes. Mas quais são os direitos dos refugiados e migrantes no Brasil? Descubra aqui!

Faça parte da maior comunidade de refugiados e migrantes no Brasil

Inscreva-se para fazer parte da maior comunidade de imigrantes profissionais de tecnologia no Brasil. Receba os melhores conteúdos para alavancar a sua carreira.

Faça parte da maior comunidade de refugiados e migrantes no Brasil

Inscreva-se para fazer parte da maior comunidade de imigrantes profissionais de tecnologia no Brasil. Receba os melhores conteúdos para alavancar a sua carreira.